6ª LEGISLATURA

1969 - 1972

Apenas 10 cadeiras em disputa

A sexta legislatura da Câmara sofreu nova mudança no número de cadeiras. Depois de 15, 14, 12 e 11, o número foi fixado em 10. Não havia, na época, nenhum critério que definisse qual seria a totalidade da composição, daí as inúmeras alterações nas cadeiras. Esse período, que foi de 1969 a 1972, não contou, depois de cinco legislaturas consecutivas, com o vereador Tadafumi Harada e foi marcada pela ascensão de Luiz Salomão Chamma ao cargo de prefeito.

O país vivia um momento conturbado e com aumento da repressão por parte do regime militar. Na cidade, a maioria dos eleitos era da Arena, partido de sustentação da ditadura, e a oposição (MDB) praticamente não existia. Tanto é verdade, que a disputa pela Prefeitura se deu entre dois candidatos da Arena.

Com a fixação das cadeiras em dez, muitos dos que tentaram a reeleição acabaram ficando de fora. Nesta sexta legislatura, de forma contínua, passou-se a eleger dois presidentes, um a cada biênio. Também ficou marcada pela eleição de alguns nomes que não prosperaram na carreira política.

Texto produzido por Wagner Azevedo

PRESIDENTE:
João Nicolau Chamma Netto (1969/1970/1971) e Reginaldo Rogero (1972)

VICE-PRESIDENTE:
Francisco Pinto (1969/1970/1971) e Luís Carlos Ribeiro de Camargo (1972)

1º SECRETÁRIO:
Katsuyoshi Yokomizo (1969/1970/1971) e Paulo Kaneichi (1972)

PREFEITO:
Luiz Salomão Chamma

VICE-PREFEITO:
Ademar Valter Coimbra

Presidentes da Legislatura

TODOS OS VEREADORES ELEITOS

Ademar Franco da Silveira, Aristeu Caetano, José Aparecido Cardoso da Silva, Manoel Pinto Júnior, João Nicolau Chamma Netto, Reginaldo Rogero, Francisco Pinto, Luís Carlos Ribeiro de Camargo, Katsuyoshi Yokomizo e Paulo Kaneichi

Skip to content