5ª LEGISLATURA

1964 - 1968

14 cadeiras na quinta legislatura, já sob domínio da ditadura

A política dos anos 1960 era marcada por mudanças bruscas, sem nenhum critério técnico e ao sabor dos que mandavam. A cada eleição o número de cadeiras do parlamento municipal era modificado e na quinta legislatura da Câmara de Mairiporã o número de vagas em disputa subiu novamente, passando de 12 para 14, o que significa dizer que entre 10 e 15, todos esses números foram utilizados.

Outra curiosidade é que nesse período, 1964/1968, foram cinco anos de gestão e Rubens Cardoso César foi eleito pela segunda vez para a presidência, e a ocupou pelos quatro anos. Alguns nomes novos apareceram entre os eleitos e o período também marcou o encerramento da carreira política de Tadafumi Harada, que cumpriu o quinto mandato consecutivo. Anos depois, na década de 1980, seu filho Getulio Harada se elegeu vereador. Foi nessa legislatura que Luis Salomão Chamma se elegeria pela segunda vez, e última, pois a partir daí só se candidatou ao cargo de prefeito, que ocupou por três mandatos.

A quinta composição da Câmara tomou posse e, meses depois, passou a conviver com o regime ditatorial, após o golpe militar de 31 de março de 1964. Com essa mudança no quadro político, Mairiporã, a exemplo de milhares de outras cidades, passou a ter como principal partido a Arena (Aliança Renovadora Nacional).  

Texto produzido por Wagner Azevedo

PRESIDENTE:
Rubens Cardoso César

VICE-PRESIDENTE:
Pedro Paulo Ribeiro de Araújo Neves

1º SECRETÁRIO:
Eurípedes de Oliveira

PREFEITO:
Florêncio Pereira

VICE-PREFEITO:
José Enrico Pappalardo

Presidente da Legislatura

TODOS OS VEREADORES ELEITOS

Argemiro Laurindo Carbonelli, Cândido Galrão de França, Francisco Pereira Brandão, Francisco Pinto, João Rodrigues da Cunha, Luís Salomão Chamma, Noboru Yamadera, Reginaldo Rogero, Rubens Boni, Sebastião Gonçalves Maia, Tadafumi Harada.

Skip to content