Novamente, seis anos de mandato

Por Wagner Azevedo

Os caminhos da legislação eleitoral no Brasil sempre foram definidos ao sabor de interesses partidários e, em maior medida, políticos. Assim é que depois de prorrogar por mais dois anos a gestão que tomou posse em 1977, e que só se encerrou em 1982, a Justiça Eleitoral determinou que o mandato seguinte, 1983/1986, na verdade se estendesse até 1988, sob a justificativa de que seriam realizadas em outubro de 1982 eleições gerais.

Pior que as eleições gerais, que elegeu desde presidente da República até vereador, foi a imposição de uma regra que, logo depois, se viu equivocada, diante das mudanças partidárias que os políticos estavam acostumados até então: o voto casado, que na prática levou o eleitor a votar num só partido, em todos os cargos em disputa.

A nona composição legislativa em Mairiporã novamente ampliou o número de cadeiras, passando de 11 para 13, com apenas dois partidos conquistando representação: o PMDB (que sucedeu o MDB) e o PDS (sucessor da Arena).

Foi um dos mais disputados pleitos para o Legislativo, que deixou de fora nomes expressivos até então. O resultado final apontou 7 eleitos pelo PDS (que elegeu o prefeito) e 6 pelo PMDB. A título de ilustração, o pleito para prefeito reuniu quatro candidatos, dois de cada partido, que ao final somaram os votos para conhecer o eleito.

Com a decisão de disputar a Prefeitura, a Câmara perdeu a única vereadora que tinha, Maria Zeza Gomes de Oliveira. A efervescência política foi intensa nesse período de seis anos e a Câmara, em parte, foi a protagonista. Os últimos dois anos foram marcados pela eleição de três presidentes. O primeiro, Flávio Gianesella, renunciou antes do término de 1987, abrindo espaço para Miguel Nagib Moussa, que um ano depois deixou o posto para Antônio Ozório Mendes da Silva.  

Também foi a gestão de um mandato só para seis vereadores, que não conseguiram a reeleição no pleito seguinte.

 

Mesa Diretiva

PRESIDENTES:
Luiz de Freitas (1983 a 1985)
Edson Pereira da Silva (1985 a 1986)
Flávio Ramos Gianesella (1987)
Miguel Nagib Moussa (1987 a 1988)
Antônio Ozório Mendes da Silva (1988)

VICE-PRESIDENTES:
Getúlio Yokito Harada (1985 a 1987)
Antonio Ozório Mendes da Silva
(1987 a 1988)

1º SECRETÁRIOS:
Miguel Nagib Moussa (1983 a 1985)
João Nakashima (1985 a 1987)
Edson Pereira da Silva (1987 a 1988)

2º SECRETÁRIOS:
Oswaldo Pisaneschi (1983 a 1987)
Miguel Nagib Moussa (1987 a 1988)

 

PREFEITO:
Antonio Jair Oliveira Nascimento

VICE-PREFEITO:
Armando Pavanelli

Edson Pereira da Silva

Miguel Nagib Moussa

Flávio Ramos Gianesella

Antônio Ozório Mendes da Silva

Todos vereadores eleitos

  • Oswaldo Pisaneschi (PMDB)
    582 votos (4,38%)
  • Flávio Ramos Gianesella (PMDB)
    497 votos (3,74%)
  • Mufarrege S. Chamma (PDS)
    392 votos (2,95%)
  • Antônio Ozório M. da Silva (PMDB)
    378 votos (2,85%)
  • Adilson Jacob Miziara (PDS)
    314 votos (2,36%)
  • Archangelo Spada (PDS)
    306 votos (2,3%)
  • Aristides Amâncio da Silva (PMDB)
    305 votos (2,3%)
  • Manoel Pinto Júnior (PMDB)
    296 votos (2,23%)
  • Miguel Nagib Moussa (PDS)
    293 votos (2,21%)
  • Edson Pereira da Silva (PDS)
    288 votos (2,17%)
  • Getúlio Yokito Harada (PDS)
    280 votos (2,11%)
  • Luiz de Freitas (PDS)
    274 votos (2,06%)
  • João Nakashima (PMDB)
    260 votos (1,96%)