Legislatura foi marcada pela intervenção do TSE

Por Wagner Azevedo

Diante da falta de vontade do Congresso Nacional em fazer cumprir a Constituição e definir o número correto de cadeiras nos legislativos municipais, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) se viu na obrigação de fazê-lo e, em decisão histórica, cortou mais de 5 mil vagas, obrigando os partidos a reverem seus métodos e concepções políticas.

Mairiporã, para se adequar à decisão, perdeu cinco cadeiras em relação à legislatura anterior e isso também implicou no número menor de candidatos.

Políticos de Expressão e com vários mandatos, acabaram derrotados nas urnas, pois o menor número de cadeiras em disputa exigiu maior votação para a conquista da vaga.

Nomes como os de Osvaldo Pisaneschi (cinco mandatos consecutivos) e Abdul Karim (três mandatos consecutivos), foram alguns dos nomes que deixaram a composição da Câmara.  

Com a redução observada, o número de partidos com representação legislativa caiu e ficou assim constituído: PTB (2), PSDB (3), PSC (2), PMDB, PPS e PSDC.

 

Mesa Diretiva

PRESIDENTES:
João Ferreira Lopes (2005 a 2006)
Glauco Tadeu de Souza Costa
(2007 a 2008)

 

PREFEITO:
Antonio Shigueyuki Aiacyda

João Ferreira Lopes

Glauco Tadeu de Souza Costa

Todos vereadores eleitos

  • Valdecir Odorico Bueno (PTB)
    739 votos (2,12%)
  • Marco A. Ribeiro dos Santos (PSDB)
    660 votos (1,90%)
  • Edson Bueno de Oliveira (PSDB)
    633 votos (1,82%)
  • Oswaldo Loureiro Filho (PSDB)
    625 votos (1,80%)
  • Júlio Ruiz (PSDB)
    611 votos (1,76%)
  • Carlos Augusto Forti (PTB)
    577 votos (1,66%)
  • Glauco Tadeu S. Costa (PSC)
    548 votos (1,58%)
  • Dayvid José Ribeiro Alves (PSDC)
    542 votos (1,56%)
  • Eduardo Pereira dos Santos (PSC)
    541 votos (1,56%)
  • João Ferreira Lopes (PPS)
    535 votos (1,54%)